• Rodrigo Motoyama

Um brasileiro próximo das grandes ligas: Bo Takahashi em números.


Imagem 1

Melhor Temporada


Classificado como um dos 45 melhores prospectos do Arizona Diamondbacks entrando em 2020, de acordo com o site prospects 1500, Bo Takahashi vinha para a temporada de 2020 após um sólido ano na Double A.

Em 2019, postando, em 118.2 entradas arremessadas, um era de 3.72, 1.23 WHIP e104 K Bo Takahashi teve o seu melhor ano nas ligas menores, lhe rendendo a segunda chamada para o elenco expandido do D-Backs durante o Spring Training.

Porém, isoladamente essas estatísticas não nos dizem muita coisa. Mesmo um era abaixo de 4 é duvidoso, pois é uma estatítica que depende de fatores externos ao arremessador. Defensores ruins podem ocasionar um número maior de corridas merecidas para um arremessador, assim como um maior WHIP. Então em quais estatíticas podemos confiar? Bom, essa é a pergunta que eu trarei em meus textos, a fim de trazer um conhecimento mais aprofundado sobre o esporte e as suas mais diversas estatísticas como um todo.


Estatísticas para acompanhar


Gráfico de barras e total de entradas arremessadas

Com uma alta porcentagem de rebatidas aéreas (FB%) e uma preocupante proporção de home runs por rebatidas aéreas (HR/FB), Takahashi apresenta seus piores números. Uma elevação no número de fly balls, tende a ocasionar um número maior de HR, e a defesa nada consegue fazer se a bola não é mantida dentro do campo.


Gráfico de barras e total de entradas arremessadas

Aqui conseguimos ver seus pontos positivos florescerem. Com uma baixa porcentagem de caminhadas (walks) e um taxa de mais de 25% por eliminações por strike, Takahashi demonstra uma boa evolução quando comparado com seus números anteriores, e com a média da liga, em ambas as estatísticas. Ambas as porcentagens nos ajudam a entender a real melhora do arremessador, onde ele impedi que mais jogadores cheguem em base por walk, e ainda aumenta suas eliminações por strike, o que depende quase que inteiramente da qualidade de seus arremessos.


Gráfico de barras e total de entradas arremessadas

Por último, mas não menos importante, temos era (média de corridas merecidas por 9 entradas) e xFIP (Performance esperada independente da defesa). xFIP é uma das chamadas sabermetrics, onde ela tenta calcular, assim como era, a capacidade do arremessador de previnir corridas. No caso de xFIP, o envolvimento da defesa é removido, além de algumas aleatoriedades, trazendo uma aproximação do real valor de um arremessador na prevenção de corridas.

O que esperar?

Bo Takahashi perdeu uma grande chance de dar continuidade à sua ótima temporada de 2019, mas com apenas 23 anos, o caminho ainda é longo para se firmar na MLB. Analisando a variação de suas estatísticas com o avanço dentro da MiLB, noto uma melhora no controle e no comando de seus arremessos, ocasionando pontos positivos e negativos. Menos walks e mais strike outs, ao mesmo tempo que vemos a porcentagem de flyballs subirem, junto com HR/FB.

Mantendo essa evolução que vimos entre ligas, imagino que em 2 anos teremos mais um brasileiro atuando como arremessador, com um jogo próximo do estilo do Zac Gallen, trazendo muito mais informações que possam ser analisadas e apresentadas em futuros artigos.


Autor: Rodrigo Motoyama

Matemático de formação, analista de dados de profissão, beisebolista desde os 9 anos. Conteúdo adicional na minha página do medium (em inglês) e no "beisebol com dados" pelo instagram e Medium. Deixa sua opinião nos comentários e bora conversar!


Referências:

Imagem 1 - https://www.imparcial.com.br/noticias/-bo-takahashi-e-eleito-o-melhor-jogador-de-beisebol-do-pais,30531

Base de dados - https://www.fangraphs.com/leaders/minor-league/?sort=22,1