• juniorsampaio77

Será que o futuro do "TIME DO FUTURO" finalmente chegou?

Em um passado não tão distante assim, o Minnesota Timberwolves tinha 4 jogadores vindos da primeira rodada do Draft. Em troca com o Cleveland Cavaliers pelo Kevin Love (ala pivô), o time de Minneapolis adquiriu Anthony Bennett (ala pivô) que foi a 1ª escolha de 2013 e Andrew Wiggins (ala) que foi a 1ª escolha de 2014. Além de escolher Zach Lavine (ala armador) na 13ª escolha do mesmo draft e havia selecionado o prospecto Karl Anthony Towns (pivô) que foi a 1ª escolha geral do draft de 2015.


Esse time parecia bastante promissor, não é mesmo? Como um time com várias com escolhas de 1ª rodada, dinâmico, jovem e audacioso poderia dar errado? Aparentemente, não é tão simples assim...


Anthony Bennett não vingou e foi trocado pelos Timberwolves com 2 temporadas. Zach Lavine foi envolvido em uma troca que levou Jimmy Butler à cidade dos lagos. Wiggins foi trocado com o Golden State Warriors pelo armador D'Angelo Russel. Daquele núcleo jovem só restou Karl Anthony Towns que segue sendo o líder do time até hoje.


Todo torcedor de Minnesota conhece o martírio que tem sido temporada após temporada na liga, até mesmo o melhor momento do time nos últimos anos acabou de maneira melancólica. E pra quem não sabe como tem sido, vale a leitura.


O ano era 2014 e o Timberwolves estava rodeado de expectativa, vários atletas jovens com potencial absurdo e alguns jogadores experientes como Ricky Rubio, Nicola Pekovic, Mo Williams e o maior ídolo da franquia que voltava pra casa Kevin Garnett. Some-se a isso, um head coach que conhece a franquia e o Novato do ano que foi o Wiggins. Receita para o sucesso? Não com o Minnesota, o time conseguiu apenas 16 vitórias na temporada e sofreu 66 derrotas. A temporada só não foi pior por que devido a campanha pífia na temporada regular, conseguiu a 1ª escolha geral do draft no ano seguinte.


Vamos para 2015 agora e Timberwolves selecionou o melhor pivô disponível do draft, Karl Anthony Towns e que ainda viria ser o Novato do ano em 2015. Ainda de acordo com a troca do Kevin Love com o Cavs, veio o armador Tyus Jones que era o MVP das finais do College, além de contar com Wiggins e Lavine mais experientes, diversos atletas experimentados na liga como Kevin Martin, Ricky Rubio, Pekovic e o ídolo Kevin Garnett. Vamos ainda adicionar nisso um novo head Sam Cassel que já tinha história no time. Agora vai né? Não! Minnesota conseguiu 29 vitórias e amargou 53 derrotas, além de presenciar a aposentadoria do Hall da Fama e ex ala pivô Kevin Garnett.


Após temporadas de muito sofrimento e pouco resultado, chegamos em 2016 e todo torcedor do Minnesota pensava "ESSE É NOSSO ANO". Após a contratação de Tom Thibodeau para técnico principal e gerente geral da franquia, as expectativas começaram a crescer novamente no coração da torcida. Andrew Wiggins, Ricky Rubio, Tyus Jones, Karl Anthony Towns, Zach Lavine, Kriss Dunn que tinha sido escolhido no draft e muitos comparavam com John Wall do Wizzards. Enfim vai dar certo? A resposta é mais que óbvia. NÃO! O time até teve uma campanha melhor com 31 vitórias mas não foi suficiente pra ir para a pós temporada.

O ano da virada chegou, agora sim! Thibodeau foi bastante agressivo na offseason ao trocar Zach Lavine, Kriss Dunn e uma escolha do draft pro Chicago Bulls em troca de Jimmy Butler e Justin Patton selecionado no draft. Além de trocar Ricky Rubio, trouxe Jeff Teague e Jamal Crawford, além de seus ex comandados Taj Gibson e Derrick Rose, somando a Tyus Jones, Wiggins e Towns.


Dessa vez o time quebrou a sequência de temporadas ruins e chegou aos playoffs depois de 13 anos, uma das maiores secas da ligas. A campanha era ótima e o time estava entre os líderes da conferência Oeste até que uma lesão afetou Jimmy Butler fazendo com o que time despencasse na tabela e terminasse em 8º lugar. Na primeira rodada eliminatória encarou o melhor time da liga no momento, o Houston Rockets e foi eliminado vencendo apenas 1 jogo da série.


Começa 2018 e os torcedores imaginam que após ir aos playoffs e o time mais entrosado a temporada seria melhor, mas, ledo engano. Antes da temporada começar, uma série de atritos com a então estrela do time Jimmy Butler fez com que fosse trocado e todo o planejado fosse por água abaixo. Sem seu líder, o Minnesota fez conseguiu somente 36 vitórias e ficou em 11º lugar na classificação do Oeste.


Após a campanha fraca, Tom Thibodeau foi demitido, vários de seus atletas saíram do roster e Minnesota ficou à deriva sem futuro e sem presente. Até que um movimento muito perspicaz por parte do time surpreendeu a torcida e a mídia.


A contratação de Gersson Rosas (ex-Brooklyn Nets) fez com que a franquia tivesse melhores perspectivas pro futuro. Trocou Wiggins pelo armador D'Angelo Russel até então no Golden State, contratou Malik Beasley, James Johnson, Jake Layman, Juan Hernangomez, além de draftar o excelente prospecto Jarret Culver e adquirir os atletas Kelan Martin, Naz Reid, Jordan Maclaughlin e Jaylen Nowell que não foram draftados.


E chegamos enfim na temporada 2021 e a vitória na loteria do draft. O Timberwolves tem novamente a 1ª escolha geral do draft. Essa pick pode ser muito importante para as pretensões da franquia. Ela pode significar um prospecto que poderá ser uma estrela e formar um big three com Towns e Russel ou uma troca em um jogador já consolidado na liga que deseja novos ares e um time competitivo.


De qualquer maneira o futuro parece finalmente ter chegado, após todas as tragédias já narradas. Essa escolha pode representar o que a torcida tanto espera e deseja, um time vencedor.