• Gabriel Amaral (Empacotador Pistola)

Rams 18 x 32 Packers: Atuação impecável da linha ofensiva leva Green Bay à final da NFC



A noite de sábado em Lambeau Field prometia um confronto equilibrado, e não era pra menos.


De um lado, o melhor ataque da liga, conduzido brilhantemente pelo MVP Aaron Rodgers. Do outro, a melhor defesa, sob a liderança de Aaron Donald.


E na batalha dos "Aarons", venceria aquela equipe que levasse a melhor sobre os duelos individuais.


Donald não viu a sombra de Rodgers. Davante Adams respondeu às provocações de Jalen Ramsey anotando mais um touchdown. Jared Goff sucumbiu às pressões defensivas. Jaire Alexander "escondeu" Robert Woods em sua ilha.


Diante disso, a vitória dos Packers tornou-se inevitável e incontestável.


A aludida melhor defesa da liga sofreu 484 jardas totais, sendo quase 300 delas partindo de Aaron Rodgers, com três passes para touchdown e toda uma calmaria surpreendente no pocket. Nada mal.


É bem verdade que os Rams vinham combalidos após eliminarem os Seahawks. O melhor defensive end da liga havia lesionado a costela e não estava 100% saudável. Um de seus melhores recebedores, Cooper Kupp, que até então era dúvida para o confronto, ficou de fora. E, para completar, o quarterback Jared Goff atuava "no sacrifício", estando com o dedão da mão direita fraturado.


Mas Green Bay não tinha nada a ver com isso e precisava fazer valer o mando de campo e a presença da torcida, pela primeira vez no estádio, desde o início da temporada, com cerca de 6000 fanáticos cheeseheads apoiando os comandados de Matt LaFleur.


Sendo assim, os Packers venceram todos os matchups possíveis da partida e se sobressaiu coletivamente, numa noite de brilho de sua linha ofensiva.


Mesmo desfalcado de David Bakhtiari, a OL se portou de forma gigante, não permitindo sequer um sack em Rodgers, e, mais do que isso, impedindo que o pass rush adversário pudesse até mesmo tocar no camisa 12. Sem dúvida, isso foi determinante para o resultado.


Elgton Jenkins, Billy Turner, Lucas Patrick e Corey Linsley têm sido verdadeiros heróis em campo.


Após um início equilibrado, com o placar de 3-3 e com as defesas se impondo em campo, Green Bay passou a se valer, acertamente, do jogo terrestre, e teve Aaron Jones e Jamaal Williams como grandes protagonistas na conquista de importantes jardas.


Davante Adams abriu os trabalhos e Aaron Rodgers apostou num "fake" para enganar a defesa de Los Angeles e correr para o segundo touchdown da noite.


Nem o TD anotado por Van Jefferson no fim do primeiro tempo trouxe muita preocupação, pois logo em seguida o field goal anotado por Crosby encerrou a primeira metade do confronto com o placar de 19-10 para os donos da casa.


No segundo tempo, o ataque terrestre de Green Bay seguiu produzindo, a ponto de resultar no touchdown de Aaron Jones, que deixou a torcida mais confortável com a vantagem de 25-10.


No entanto, como sempre há espaço para uma dose de tensão e emoção, Los Angeles encostou no marcador, após um rápido drive, e anotou um touchdown e uma conversão de dois pontos, ambos com Cam Akers, e deixou a vantagem dos Packers cair para uma posse de bola.


Apesar do "susto", Green Bay soube controlar o jogo e o relógio, contando com a pressão exercida por sua defesa para deixar os Rams o mais distante possível da endzone. Za'Darius Smith, Preston Smith, Kenny Clark, Rashan Gary e Krys Barnes (com uma só das mãos) tiveram intervenções decisivas para garantir o resultado.


Quando a torcida cabeça de queijo estava com a pulga atrás da orelha e rezando para que a equipe não permitisse o empate, Aaron Rodgers expôs a secundária de Los Angeles, com um passe milimétrico para Allen Lazard, que teve campo livre para correr rumo ao touchdown da vitória.


Depois, foi só contar os segundos para comemorar, pela segunda temporada consecutiva, a ida do Green Bay Packers à mais uma final de conferência.


Restam mais dois passos para o grande objetivo e o cerco se fecha. O próximo adversário sairá do duelo entre Buccaneers x Saints, e, seja quem for que passe, haverá um jogo histórico entre dois grandes quarterbacks, no próximo dia 24 de janeiro.


O mais importante, nesse momento, é ver a equipe se fortalecer e se consolidar a cada jogo, mostrando talento e superação. E saber que, diferente de 2020, a final da NFC será decidida em Lambeau Field, onde, historicamente, os Packers são muito fortes.


Mais uma batalha foi vencida, mas a missão ainda não foi concluída. E sabemos que tanto Rodgers, quanto LaFleur, não vão sossegar enquanto não trouxerem o quinto anel para casa. O caminho está sendo bem pavimentado para isso.


#GoPackGo