• Gabriel de Campos

Quem será o quarterback titular dos Bears?

O Chicago Bears sofreu bastante na temporada passada com seu quarterback titular, Mitchell Trubisky . Agora eles tem um novo quarterback no time que pode assumir a titularidade, mas isso realmente vai acontecer?

Segundo uma matéria da NFL.com, Trubisky é o terceiro pior quarterback que jogou a temporada de 2019, atrás apenas de Andy Dalton e Matt Moore. Trubisky fez 17 passes para touchdown enquanto Carson Wentz (Eagles) passou para 27 e Dak Prescott (Cowboys) passou para 30 touchdowns. Ambos os quarterbacks usados como comparação também não se classificaram para os playoffs. A campanha dos Cowboys foi a mesma do que a dos Bears, oito vitórias e oito derrotas. Mitchell Trubisky terminou o ano com uma média de 1.13 touchdown por jogo; em toda a sua carreira a média é de 1.17, ou seja, não foi uma temporada atípica. O lado defensivo da equipe não teve um desempenho ruim em 2019, 31 sacks, 10 interceptações, 70 passes defendidos, 12 fumbles forçados e 726 tackles individuais. E o quarterback reserva? o reserva da equipe no ano passado era Chase Daniel. Daniel está na liga desde 2010. Até a temporada passada estava em seu quinto time na NFL. Antes dos Bears jogou nos Redskins, Saints, Chiefs e Eagles. Em todas essas equipes teve poucas oportunidades como titular; em Chicago não seria diferente. Um outro fator para que Trubisky tenha ficado três anos na liderança dos Bears é o ego de Ryan Pace, general maneger da equipe que fez trocas para subir de colocação no draft e escolheu Trubisky ao invés de Patrick Mahomes ou Deshaun Watson. A escolha de Pace foi bem controversa, se Matt Nagy (head coach) decide tirar a titularidade de Trubisky as críticas seriam absurdas, e com razão. A opção de quinto ano no contrato de calouro de Trubisky foi rejeitada, isso dá a entender que o time procura se desfazer do jogador num futuro próximo. Chicago sente a falta de um quarterback que sabe lidar com a pressão, que toma decisões corretas e que tem momentos onde assume a responsabilidade levando o time para a vitória. 2019 foi um ano em que o ataque somou um total de 3573 jardas passadas com 6.2 jardas por tentativa, 28 touchdowns (20 passados e 8 corridos), 12 interceptações e o passe completo mais longo foi de 53 jardas feito por Mitchell Trubisky. Números abaixo de um time que quer brigar por playoffs.


Quarterback Mitchell Trubisky

O lado estatístico de Mitchell Trubisky foi apresentado, porém os números não mostram a personalidade do jogador. O quarterback é o líder do time, a peça mais importante do esquadrão ofensivo. Quando o líder não tem confiança em si, a confiança de todo o restante dos companheiros é perdida também. O alfa da equipe é aquele que os incentiva em um jogo ruim dizendo que nem tudo está perdido.

E onde eu quero chegar com isso? Quero dizer que Trubisky não está cumprindo o papel de quarterback. O seu papel não é apenas decorar jogadas para quando for a hora do jogo fazer tudo de qualquer jeito. Liderança é o maior problema de Mitchell Trubisky. E o Nick Foles? Foles foi quem tomou as rédeas dos Eagles em 2018 quando Carson Wentz se machucou tendo que deixar a equipe na jornada dos playoffs. Não posso negar que Foles fez um grande trabalho assumindo a equipe, mas o time inteiro estava bem preparado. Ele foi um complemento que encaixou muito bem na equipe e trouxe o Super Bowl para Philladelphia.


Nick Foles campeão do Super Bowl em 2018 nos Eagles

No dia 18 de março de 2020 os Bears anunciaram a troca com os Jaguars.

Por uma escolha de quarta rodada no draft o time de Chicago adquiriu o quarterback Nick Foles. Foi uma boa troca. O contrato do novo jogador é de três anos, US$24.000.000 com US$ 17.000.000 garantidos e um bônus por assinatura de US$4.000.000. Há um potencial de corte em 2022, ano em que todo o seu dinheiro garantido terá sido pago. Está longe de ser um contrato barato. Em Jacksonville, Nick Foles esteve longe de uma boa temporada. Mas ele não é o culpado. O time dos Jaguars teve seu grande momento em 2017, quando liderou a AFC Sul com dez vitórias e seis derrotas e avançou até a final de conferência onde perdeu para os Patriots em um jogo bem disputado. Deste momento em diante o time apenas regrediu. A defesa que era espetacular aos poucos foi perdendo suas grandes estrelas e outros jogadores passaram a ficar insatisfeitos. Em 2019 a equipe não tinha um wide receiver de confiança, a linha ofensiva estava fraca. Nick Foles na maioria das vezes trabalhou passando para os tigh ends, Seth DeValve e Nick O’Leary, que não são jogadores muito funcionais. O playbook dos Jaguars não era o adequado para Foles, mesmo sendo um jogador mais experiente. Em Chicago é provável que Matt Nagy amplie seu plano de jogo para Nick Foles. Quando Nagy foi coordenador ofensivo do Kansas City Chiefs, Foles era o quarterback reserva. Eles já se conhecem e isso é um fator que pesa bastante para que jogador comece o ano como titular. A funcionalidade que Mitch Trubisky não trouxe para os Bears, Nick Foles trará. Ele impedirá que a defesa se frustre facilmente com o ataque e que se desgaste mais do que o devido em uma partida. Nick foles pode mudar o psicológico de uma equipe inteira que se desapontava com interceptações e decisões ruins tomadas pelo seu quarterback. A NFC North, como todos os anos, promete ser bem competitiva. É uma temporada diferente que pode nos trazer bons momentos. Estou curioso para saber como Nick Foles se desenvolverá no Chicago Bears.


por Gabriel de Campos

siga-me no Instagram em @hailmarybrasil e no Twitter em @hailmarybr