• Daniela Germano - Criadora do GirlPowerNFL

O que será da divisão AFC Leste sem Tom Brady?

Tom Brady anunciou esse ano sua saída após 20 anos do time New England Patriots, gerando um enorme impacto para todo a conferência, mas principalmente para a AFC Leste.


A mudança de Tom Brady para o Tampa Bay Buccaneers gerou um choque no elenco do time de Boston, sobrecarregando o novato Jarrett Stidham e o veterano Cody Kessler, até então reservas de Brady, bem como o QB contratado Cam Newton.


Para a torcida, Brady era a exteriorização da Patriot Way e para seus companheiros um modelo a ser seguido. Uma separação assim pode pesar bastante, mas outros elementos importantes do elenco do time continuam querendo propagar o estilo Patriots de jogar.


Mas será que saída do quarterback influenciará nos demais times da conferência AFC Leste? A resposta é sim.





A divisão sempre foi dominada pelo New England por sua competência e estabilidade de tática de jogo e do elenco, mas também contou com a fragilidade dos seus companheiros de divisão, que participaram dos playoffs apenas três vezes nos últimos 10 anos, com os Dolphins em 2016 e os Bills no ano de 2018 e 2020.


Ainda assim, a mudança de Brady para o time da Flórida, fará com que a temporada 2020-2021 signifique o início de uma nova história dentro da AFC Leste.


O cenário fica muito favorável para o Buffalo Bills em 2020. As chances de que Buffalo poderá virar o jogo na divisão ficaram bem claros ainda na temporada de 2019/2020, com o embate da semana 16 em que os Bills quase viraram o jogo contra os Patriots nos minutos finais do jogo. Apesar de não ter ganho a divisão, o time de Nova Iorque mostrou que a vitória está em seus planos atuais.


A evolução do time durante os últimos três anos é inegável, sob o comando do técnico Sean McDermott, a mudança de filosofia e estrutura do time vem dando certo, sendo então um concorrente de peso para enfrentar o time da Nova Inglaterra. Se a chance de Buffalo vencer a divisão já era possível no começo de 2020, imagine agora que não terá mais que enfrentar Tom Brady duas vezes por ano.


O quarterback titular do Buffalo Bills, Josh Allen, disse em uma conferência com jornalistas que vê uma boa oportunidade de vencer a AFC Leste com a saída do seis vezes campeão do SuperBowl, Tom Brady.


Eu acho que a Bills Mafia [apelido da torcida] está feliz que ele está fora. Eles estavam cansados dele vencendo em Buffalo e, francamente, nós também estávamos”, afirmou Allen ao jornalista do Buffalo News, Vic Carruci.


Já os rivais de divisão, Miami Dolphins e New York Jets, também sabem que a próxima temporada pode ter mudanças, mas para isso, é preciso empenho pra superar o Patriots que nunca deve ser subestimado sob comando de Bill Belichick e também tentar frear a crescente ascensão dos Bills.


Após um início de temporada catastrófico, o Miami Dolphins melhorou na segunda metade da temporada, com o excelente trabalho do técnico Brian Flores. Com a contratação de bons nomes no período de FreeAgency e a possível chegada do calouro Tua Tagovailoa, no Draft deste ano, não nos surpreenderia que o time de Miami faça um bom trabalho em 2020.

Se esse trabalho será suficiente para superar o ainda forte Patriots saberemos apenas em setembro, porém o time será mais competitivo gerando no mínimo um incomodo para os times da conferência.


Por fim, mas não menos importante, o NY Jets vem de uma campanha difícil e decepcionante, principalmente após as expectativas criadas na temporada de 2018. O time passou por grandes reformulações no início de 2019, porém ainda não foi suficiente para grandes resultados na temporada de 2019/2020.


O CEO do New York Jets, Christopher Johnson, deu um voto público de confiança ao técnico Adam Gase afimando que:


Eu quero garantir que não haverá mudanças nos treinadores aqui. Adam tem a confiança deste time. Ele tem a confiança de Sam (Darnold). Tem a confiança de Joe (Douglas). Ele tem a minha confiança. Ele é um bom homem, um bom treinador”, falou Johnson aos repórteres.


A visão que se tem é que o time tentará manter seu elenco e aprimorar sua estrutura, lapidando o quarterback calouro Sam Darnold, sua linha ofensiva com Kelechi Osemele e o veterano Ryan Kalil e o grupo de recebedores com Jamison Crowder. Porém a linha defensiva é o ponto fraco dos Jets com a falta de um grande pass-rusher pelas pontas.


Embora o New York Jets seja bem mais forte do que a versão 2018, fica muito complicado apostar nos playoffs – mesmo com o grande desfalque do New England Patriots. Apesar dos reforços, o time possui algumas fraquezas e Sam Darnold ainda é uma incógnita. A aposta é que os Jets não irão fazer feio, mas também não irão surpreender.


A saída de Tom Brady mexeu profundamente com as estruturas físicas e emocionais do time de Bill Belichick, fazendo com que o monopólio comece a se desfazer, e assim gerando mais competitividade dentro da divisão, tudo que um admirador do futebol americano quer.


Apesar dos novos ares que a contratação do Cam Newton possa trazer ao time de Boston, o entrosamento da equipe com o novo QB ainda é uma incógnita.





Os demais times se mostram conservadores em afirmar que o New England está vulnerável sem Brady e acreditam que os Patriots continuem sendo o time a ser batido na divisão.


Sinceramente, eu não esperava que Tom fosse embora. Sentirei falta jogando contra ele. Você sempre quer derrubar o melhor e agora não teremos essa chance. O time a ser batido na divisão é o Pats. Acho engraçado e cômico que as pessoas estejam dispensando os Patriots. Enquanto o Belichick estiver lá, e até vencê-los, nós não fizemos nada”, disse o general manager de Buffalo, Brandon Beane, segundo Vic Carucci, do Buffalo News.


Mesmo que o roteiro pareça semelhante a expectativa é que a saída do astro do New England Patriots faça com que esta temporada aumente exponencialmente as mudanças para uma nova fase na AFC Leste, com a busca pelo posto de melhor time da divisão sendo menos desigual.


O ano de 2020 será de reconstrução para Bill Belichick e sua franquia, e para as demais, um ano de aperfeiçoamento e esperança.


Se ainda não significa a certeza de sucesso, os demais times da divisão mostraram que, em 2020, possuem o talento necessário para serem rivais de sucesso.