• Gabriel Amaral (Empacotador Pistola)

O que podemos abstrair das primeiras semanas de treino do Packers?

Como já diria o poeta, e se ele não disse, eu estou dizendo agora, "Não se iluda com Training Camp". Essa é uma máxima sempre recorrente durante o período de preseason e deixa muitos torcedores empolgados ou preocupados com o que vêem.


É o momento característico onde podem surgir os famosos "leões de treino", aqueles que na hora H nunca corresponde as expectativas. Por isso, todo este período deve ser visto com as devidas ressalvas.


Porém, como o meu "trabalho" é acompanhar os trabalhos diários e relatar o que de melhor vejo, em todos os aspectos, trarei algumas impressões dos primeiros dias de trabalho efetivo pelos lados de Green Bay.


É bem verdade que a pandemia atrasou o planejamento e o calendário de preparação de todas as equipes, por isso algumas etapas, principalmente as de condicionamento físico, tiveram que ser abortadas, visando a prática de situações de jogo.


Após uma semana mais voltada à desenferrujar o elenco, a partir do dia 18 de agosto o pessoal vestiu seus "pads" e, de fato, começamos a ter uma ideia de algumas possíveis formações, incluindo um treinamento em Lambeau Field no dia 20, local que ainda sediará novos trabalhos.


Um detalhe interessante e inovador foi visto nos últimos dois treinamentos: após uma decisão em comum acordo entre nosso GM Brian Gutekunst e o HC Matt LaFleur, foi colocado um ar de mistério nas atividades, algo similar aos "treinos fechados" que conhecemos aqui no Brasil.


Tudo isso para não revelar algumas das formações ensaiadas. Independente disso, através de informações oficiais dos insiders, pudemos extrair alguns detalhes importantes até então verificados.


Primeiramente, ao que tudo indica, teremos, em mais uma temporada, uma defesa extremamente forte e agressiva. O setor se sobressaiu ao ataque em praticamente todos os treinamentos, com diversos sacks e interceptações (Rodgers foi interceptado 5 vezes).


Os destaques ficaram por conta de nossa secundária. Adrian Amos e Kevin King tiveram grandes aparições em turnovers. Jaire Alexander tem tudo para se firmar como um dos melhores da posição. A surpresa ficou por conta de Josh Jackson. A segunda escolha do draft de 2018 ainda não provou sua qualidade em campo, mas nas atividades preparatórias tem atuado em alto nível.


Pelo lado do pass rush, Rashan Gary, mais forte e livre de lesões, tem chamado a atenção, e ainda precisa justificar o fato de ter sido a primeira escolha do draft de 2019. Christian Kirksey mal chegou, mas já se mostra bastante adaptado ao esquema de Mike Pettine.


Na linha ofensiva, a novidade é a improvisação de Billy Turner, antes Guard, na posição de Right Tackle. LaFleur parece ter gostado disso e deve levar para campo a mudança. Acho um pouco temerário.


Em contrapartida, o ataque vem demonstrando algumas dificuldades no jogo aéreo. Quando o mesmo funciona, o porto seguro é Davante Adams, porém tivemos bons trabalhos de Marquez Valdes Scantling e Jake Kumerow. Josiah Deguara dá mostras de segurança atuando como fullback. Na posição de tight end, Robert Tonyan, que poderia ser a quarta opção, vem demonstrando talento e personalidade, podendo pintar como titular no setor, aproveitando o afastamento de Jace Sternberger que se contaminou pela Covid-19, mas já se recuperou e voltou aos treinos.


Os running backs, mais uma vez, tem mostrado toda sua agilidade. AJ Dillon chegou chegando e tem usado suas coxas e panturrilhas avantajadas para derrubar muitos oponentes.


Destaque-se, ainda, a bela atuação do QB Tim Boyle, com excelentes passes e poucos erros, o que deve consolidá-lo como segunda opção isolada, em caso de ausência de Rodgers. Love tem se enturmado bem e tem no nosso camisa 12 um grande professor, e este, por sua vez, tem se mostrado bastante engajado em auxiliar o calouro. No entanto, nossa primeira escolha do último draft ainda carece de melhorias no trabalho de pernas e terá que brigar para ser o substituto imediato do nosso "capitão".


Por fim, na unidade dos special teams, Mason Crosby e JK Scott vêm mantendo o alto aproveitamento em field goals e punts e por aí não temos com o que nos preocupar. Darrius Shepherd e Tyler Ervin serão nossos retornadores para a temporada, salvo alguma mudança de última hora por lesão ou opção técnica.


As notas preocupantes ficaram por conta de alguns sustos, decorrentes de pequenas lesões, sofridas por alguns jogadores importantes, como Za'Darius Smith, que ficou fora de dois treinos, Montravius Adams (parece algo mais sério), David Bakhtiari (treinou com limitações) e Davante Adams (saiu machucado mas retornou na mesma atividade sem limitações).


Infelizmente isso é normal e corriqueiro em todas as franquias, no entanto pode representar perdas significativas e resultar em dificuldades no decorrer do campeonato.


No mais, como disse no início, treino é treino e jogo é jogo, mas, por enquanto, estamos convivendo com boas perspectivas e expectativas para fazer bonito na temporada. Agora, é hora de deixar a equipe afiada, pois a NFL bate à porta.

Go Pack Go!