Não Se Enganem: Dwayne Haskins NÃO é "Bust".

Talvez uma das maiores injustiças atuais seja a discussão sobre o real talento de Haskins, a escolha número 15 do Draft de 2019. O jogador de Ohio State recebe duras críticas sobre seu desempenho nas redes sociais frequentemente, muitas das vezes, de forma injusta. Em um ambiente notavelmente tóxico para jogadores recém chegados, principalmente novatos com expectativas de seleções de primeira rodada, Dwayne foi rapidamente introduzido ao time titular, substituindo o veterano Case Keenum no jogo contra o Buffalo Bills. Depois do jogo, Bill Callahan confirmou a mudança na titularidade para o restante da temporada, torcendo para essa ação ter dado início a uma mudança organizacional.

Em seus cinco primeiros jogos, Haskins não obteve bom desempenho. Seu rating médio foi 41,68; sua taxa de passes completados ficou próximo de 56% e somou um total de interceptações três vezes maior do que seus touchdowns. Além disso, teve três fumbles sofridos, mostrando falta de experiência. Com essas performances, muitos questionaram sua escolha e apontaram o dedo para uma possível “bust”.

Despercebido por muitos, o camisa número sete melhorou muito seu desempenho, principalmente em sua eficiência. Seu aproveitamento teve aumento de 9%, conseguiu um rating médio acima de 100 pontos (2,45 vezes maior que os cinco primeiros jogos), cometeu apenas uma interceptação e teve cinco passes para touchdown. Importante considerar que em seus últimos jogos, enfrentou o mesmo número de times que foram aos playoffs em comparação com o seu início de carreira como um “Redskin” e ainda cometeu muitos fumbles, reforçando a ideia de necessidade de melhora nesse aspecto.

Por mais que muitos tivessem criticado a decisão do New York Giants em selecionar Daniel Jones antes de Dwayne Haskins Jr, ao longo da temporada, com o começo bom de Jones e fraco de seu oponente de divisão, as críticas foram invertidas. O “fenômeno” de “Danny Dimes” tomou conta da NFC Leste, criando uma sombra sobre o jogador de Washington, que se tornou alvo das zoações de torcedores, demonstrando como primeiras impressões são importantes na NFL.

Antes de tirar conclusões, vale ressaltar a falta de talento no ataque dos Redskins. Fora Terry McLaurin, o time não tem muitas armas. Guice ainda não teve sua “breakout season”, Cody Latimer não é o recebedor dos sonhos e sua linha, por mais que surpreendente na temporada passada, ainda precisa de melhoras para suprir a ausência de Trent Williams no lado cego do quarterback. Talvez com as adições de Antonio Gibson (WR), Antonio Gandy-Golden (WR), Keith Ismael (OL) e Saahdiq Charles (OL), o time possa mudar sua cultura e ajudar seu lançador, que deve estar desesperado por um arsenal competitivo.

Não há como falarmos o que o futuro aguarda para Dwayne Haskins, mas podemos negar projeções baseadas nas estatísticas da temporada passada dele. Se a pessoa achar a mecânica de lançamento ruim, ou questionar suas decisões em passes e corridas, tudo bem, pois tudo isso é feito por interpretações de jogos assistidos. Intangíveis são muito mais fáceis de serem questionáveis, pois levam em conta a preferência de cada um e o esquema em que o jogador se encontra. Se a narrativa de críticas negativas ao quarterback de Washington for feita com bases em números não discriminativos entre seu começo e fim de temporada, indique as diferenças e mudanças ocorridas para o locutor de tal fala. Não deixe que números totais e nada precisos moldem o jogador, visto que isso atrapalha em muitos julgamentos de qualidade. Afinal, o que seria de Cris Carter se julgássemos suas habilidades em seu primeiro ano? Peyton Manning tornou-se um “bust” ao ter 28 interceptações e 26 touchdowns como novato? Alguém conseguiria prever os quatro anéis de Terry Bradshaw analisando seu ratio de quatro interceptações a cada touchdown? Estatísticas são traiçoeiras quando vistas de forma não analítica e puramente matemática. Cabe a cada um criar seu julgamento e fazer uma interpretação válida. Não tem problema algum em dizer que não vê um futuro brilhante para Haskins, só não fique preso a descrições simplistas e baseadas somente em dados!


-dados retirado da Pro Football Reference e Player Profiler-