• Daniela Germano - Criadora do GirlPowerNFL

MULHERES NA NFL: UM ESPORTE TANTO FEMININO QUANTO MASCULINO

Atualizado: Set 29



Nos EUA o público feminino vem crescendo mais que o masculino. Enquanto o público masculino cresceu 10% em 4 anos, o feminino cresceu 26%.

Cerca de 85 milhões de mulheres americanas são fãs de Futebol Americano, ou seja, 45% do público da NFL é feminino.



NFL é, em tese, uma liga mista. Não há qualquer restrição de gênero na liga esportiva mais poderosa do mundo. Não é por existir uma proibição ou qualquer coisa do tipo, que as mulheres não chegaram a atuar na NFL, mas porque a maioria das mulheres talvez não tenha a intenção em criar uma carreira dentro do mundo do futebol americano, por enquanto.


Agora vamos falar especificamente das mulheres que já passaram e as que ainda estão na NFL.


Jennifer Welter


Ela é jogadora e treinadora de futebol americano.


Era estagiária do treinador defensivo do Arizona Cardinals durante a pré-temporada de 2015, fazendo dela a primeira estagiária de treinamento feminina na NFL.

Kathryn Smith

É a treinadora de futebol americano que mais recentemente atuou como treinador de controle de qualidade de equipes especiais do Buffalo Bills.


Ela foi a primeira treinadora em tempo integral na história da NFL. Smith também foi a única mulher a ocupar uma posição de treinador em tempo integral na NFL até o San Francisco 49ers contratar Katie Sowers em 2017.


Katie Sowers

É assistente ofensiva do San Francisco 49ers desde 2017. Sowers começou sua carreira no futebol americano jogando na Women's Football Alliance.


Após sua aposentadoria, Sowers ingressou na Liga Nacional de Futebol em 2016 como treinadora do campo de treinamento do Atlanta Falcons. E ao se juntar aos 49ers em 2017, Sowers tornou-se a primeira treinadora LGBT da NFL.


Maral Javadifar/Lori Locust

Lori Locust e Maral Javadifar foram contratados pelos Tampa Bay Buccaneers como as primeiras treinadoras em tempo integral da história da franquia.




Os Buccaneers são agora a primeira equipe da NFL com duas treinadoras na equipe.


Maral Javadifar é a assistente técnico de força e condicionamento. Já Locust foi estagiária defensiva do Baltimore Ravens, de 2017-18. Agora é assistente do treinador da linha defensiva.



Kelsey Martinez

Assistente de força e condicionamento, ela ingressou nos Raiders no início de 2018 com Tom Shaw, o então coordenador do departamento.






Phoebe Schecter

Foi nomeada estagiária de treinamento durante toda a temporada do Bills em 2018.





Collette Smith

Com 44 anos, Collette fez história ao se tornar a primeira mulher a treinar o New York Jets e a terceira a treinar times na História da NFL.


Ela trabalhou como estagiária de treinamento antes de assumir seu papel como assistente de treinadora defensiva.


Connie Carberg

Ela é conhecida como a "Primeira olheira". No início de 1976, o gerente geral Al Ward e o diretor de jogadores Mike Holovak perguntaram se Connie queria ser tornar olheira do Jets.

Foi a primeira recrutadora da NFL e a primeira mulher a fazer uma escolha no draft da NFL (para o New York Jets).

Suas realizações incluíram a escolha do Defensive End do All-Pro, Mark Gastineau.


Amy Jeanne Trask

A ex- CEO do Oakland Raiders . Trask também foi chamado de "Princesa das Trevas" pelos fãs do Raiders.


Atualmente trabalha como analista da CBS Sports e da CBS Sports Network.






Katherine "Katie" Blackburn

É Vice-Presidente Executivo do Cincinnati Bengals.

Ela trabalhou no escritório principal do Bengals, onde era a única mulher em toda a liga envolvida na negociação de contratos de jogadores.


Blackburn tem mais de 20 anos de experiência no futebol profissional e foi a primeira mulher a ser a principal negociadora de contratos da NFL.


Sarah Thomas

É uma arbitra de futebol americano dos Estados Unidos e atualmente é arbitra da Liga Nacional de Futebol Americano.

Em 8 de Abril de 2015, Thomas foi contratada como a primeira mulher árbitra em tempo integral na história da NFL.



Shannon Eastin

É a primeira mulher oficial da Liga Nacional de Futebol Americano (NFL).


Ela foi contratada como substituta em 2012 durante a greve de árbitros de tempo integral.




Samantha "Sam" Gordon


Jogadora de Futebol Americano desde os 9 anos, ficou famosa por um vídeo no Youtube em que seu pai compilou seu desempenho em uma única temporada: 25 TD’s, 65 Tackles e 1.911 jardas corridas.


Ganhou o prêmio da Game Charger da NFL HONORS de 2018, prêmio criado para celebrar aqueles que estão empenhados em avançar no FA. Este prêmio reconhece um membro da família do futebol que contribuiu positivamente para o esporte e sua comunidade.



K-Lani Nava


Em 2017, K-Lani Nava foi a primeira pessoa do sexo feminino a marcar pontos na prestigiada decisão da liga de high school do estado do Texas.




Brooke Liebesch


Foi a primeira mulher Quarterback titular de uma high school que disputa competições estaduais em Liberty North, Missouri.




Shelby Osborne


Uma Linebacker, foi pioneira em atuar no futebol americano universitário em uma posição que não seja de Kicker ou Punter.





Lauren Silberman


Em 2013, Lauren Silberman tornou-se a primeira mulher a tentar oficialmente uma vaga na NFL como Kicker.


Ela era jogadora de futebol (soccer).




Antoinette " Toni " Harris


É uma jogadora de futebol americano universitário da Universidade Central Metodista na National Association of Intercollegiate Athletics (NAIA) e joga na posição de safety.

Ela é a primeira mulher a receber uma bolsa integral de futebol da faculdade sem jogar na posição de especialista e a segunda mulher a jogar futebol com bolsa de estudos.


Hannah Sport e Andrea Kremer

Primeira dupla de narradora e comentarista 100% feminina que transmitiram um jogo completo de futebol americano.

As duas estão seguindo os passos de Gayle Sierens, que narrou um jogo da NFL em 1987, e de Beth Mowins, que narrou um jogo do "Monday Night Football" em cada uma das duas últimas temporadas.


Carli Lloyd

A bicampeã do ano da FIFA, medalhista de ouro olímpica e vencedora da copa do mundo, Carli Lloyd fez seu nome no campo de futebol, mas a capitã da seleção feminina dos Estados Unidos (USWNT) está pensando seriamente em levar seus talentos para o futebol americano.

A atacante de 37 anos tornou-se viral nas mídias sociais em agosto, quando acertou um fiel Goal de 40 e 55 jardas com relativa facilidade no campo de treinamento do Philadelphia Eagles.

A exibição deixou os fãs de futebol babando e chamando seus times favoritos para lhe dar uma chance na NFL. Em uma aparição recente no podcast "Laughter Permitted" da ESPN, Lloyd revelou que está seriamente "entretendo" a ideia de fazer exatamente isso.


Jennifer King

King já esteve presente na comissão técnica do agora head coach dos Redskins, Ron Rivera, como estagiária em 2017 e chegou a trabalhar na extinta Alliance of American Football (AAF) como treinadora assistente de wide receivers para o Arizona Hotshots.

Washington Redskins contratou Jennifer King como treinadora assistente, tornando-a a primeira mulher negra em uma comissão técnica em tempo integral de uma equipe da NFL.


Rushell Harvey

Harvey se juntou aos Falcons depois de passar o ano passado como coordenador de recrutamento na Universidade de Tulane.

Ela também atuou como estagiária de recrutamento de futebol na Universidade de Houston em 2018 e na LSU em 2017.



Kjahna O

Kjahna serviu como pessoal de futebol e assistente de recrutamento na Universidade da Carolina do Sul, onde também recebeu seu Mestrado em Gerenciamento de Esportes e Entretenimento.



Hannah Burnett

Os Giants contrataram Hannah Burnett como sua scout em Midlands.

Ela é a primeira mulher em uma posição de scout em tempo integral nos 95 anos de história da franquia.

Foi estagiária de operações de eventos no campo de treinamento dos Buffalo Bills em 2017 e trabalhou como assistente de pessoal de jogadores no escritório da NFL por quatro meses. Ela foi contratada em novembro de 2018 pelo Atlanta Falcons, onde trabalhou como contato entre jogadores, agentes e escolas para agendar exercícios.


Kathleen Wood

O Cleveland Browns contratou Kathleen Wood como pesquisadora profissional e universitária.

Wood se tornou a primeira scout de todos os tempos no Senior Bowl no ano passado, onde cobriu o território sudeste para o jogo das estrelas antes do draft.

Ela passou um tempo como pesquisadora e estagiária no Buffalo Bills e no Philadelphia Eagles antes de sua passagem pelo Senior Bowl.



Riley Hecklinski

Riley Hecklinski está ingressando no departamento de pesquisa como assistente de scouting em tempo integral do Browns.

Hecklinski é a única scout em período integral de acordo com Cabot e tem experiência em recrutamento para a Universidade do Kansas. Ela também foi ex-jogadora de softbol e trabalhou no Senior Bowl.



Concluímos que o Futebol Americano é sim lugar de mulher e que cada vez mais devemos encontrar mulheres atuando dentro e fora de campo.