• Gabriel Amaral (Empacotador Pistola)

Eagles 16x30 Packers: Ataque de recordes, defesa de sustos e "modo MVP" de Rodgers




Uma noite de recordes em Lambeau Field encheu os torcedores cheeseheads de confiança e orgulho, principalmente com seu sistema ofensivo.


Os Packers venceram o Philadelphia Eagles, sem muitos sustos, por 30-16 e seguem despontando na NFC Norte, com campanha 9-3 e as duas mãos no bi-campeonato da divisão e nos playoffs.


E, mais uma vez, todos imaginavam a necessidade obrigatória de vitória, a segunda consecutiva em casa, após superar o combalido Chicago Bears e enfrentando, nesta oportunidade, uma equipe proveniente da fraquíssima NFC East, onde a briga é ferrenha para saber quem é o pior.


Não bastasse isso, Carson Wentz vinha em péssima fase, liderando várias estatísticas relativas à sacks e turnovers, e dava mostras de perda de confiança após a chegada de seu concorrente, Jalen Hurts, via draft.


Se por um lado, a vinda de outro quarterback desestabilizou o camisa 11 da Filadélfia, o mesmo não pode ser dito pelos lados de Green Bay.


Aaron Rodgers ativou o "modo MVP" nesta temporada e não cansa de acumular recordes, jogo após jogo. É indescritível o privilégio de vê-lo jogar.


O lendário camisa 12 teve mais uma atuação gloriosa, com 3 passes para touchdown, sendo um desses o de número 400 em sua carreira, que não poderia deixar de ser recepcionada por ninguém mais que Davante Adams, outro ícone do ataque dos Packers.


Adams, por sua vez, com sua execução precisa de rotas, já é o quinto jogador da história dos Packers em touchdowns recebidos. Ouso dizer que a dupla Rodgers-Davante já supera aquela editada por Rodgers e Nelson, e ainda dará muitas alegrias à torcida.


É realmente impressionante a sintonia, a identidade, a parceria e o entendimento entre esses dois jogadores. Isso me faz crer que, neste momento, Aaron Rodgers é o MVP da temporada e Davante Adams é o melhor wide receiver da liga.


Quanto ao jogo em si, os Eagles dominaram o relógio no primeiro quarto, abrindo 3-0 e não deixando os Packers terem alguma chance de produção ofensiva.


A reação veio no segundo quarto. O alto nível do ataque de Matt LaFleur foi visto novamente e produziu em larga escala, com touchdowns de Adams e Robert Tonyan.


No terceiro quarto, Green Bay dava mostras de um espírito de "já ganhou" e um certo relaxamento tomou conta do jogo. Ainda assim, a equipe abriu 23-3, com mais uma conversão de Davante Adams, mas acabou cedendo um touchdown decorrente de um retorno de punt (o segundo na temporada), o que demonstra, outra vez, uma falha gritante do sistema defensivo de Mike Pettine.


Nessa altura do jogo, Jalen Hurts era o titular de Philadelphia, o que dava mostras de insatisfação do HC Doug Peterson com seu quarterback titular. E o calouro teve bastante personalidade, primeiro passando para o segundo touchdown da equipe na noite, e, em seguida, para lançar uma interceptação que foi parar nos braços de Darnell Savage. Parava aí a tentativa de reação do adversário.


Para fechar a noite com chave de ouro, Aaron Jones voltou a escrever sua marca na endzone rival após alguns jogos de jejum, com uma corrida sensacional de 77 jardas.


Diante do resultado, algumas coisas não mudaram. Em primeiro lugar, o excelente desempenho ofensivo, incluindo uma OL extremamente qualificada. Em segundo, as falhas defensivas, embora esta unidade tenha mostrado alguma evolução nas últimas duas partidas, forçando mais turnovers e pressionando mais o quarterback adversário. Destaque-se o bom trabalho de Rashan Gary, Kingsley Keke, Kamal Martin, Darnell Savage e Jaire Alexander.


O que não mudou também foi a tão ressaltada instabilidade geral da equipe. Nos playoffs será necessário manter o mesmo nível de atuação os sessenta minutos, se os Packers quiserem chegar longe. Concentração e foco é tudo.


O que mudou, para pior, foi o rendimento do Special Teams, principalmente do punter JK Scott, que não vive uma boa temporada. Mas creio que possa a voltar a ter boas atuações.


Enfim, Green Bay segue acumulando recordes e confiança rumo aos playoffs, mesmo tendo muitas pontos a evoluir.


E neste mesmo passo, há um quarterback que não cansa de fazer história. E isso pode fazer diferença na hora H.


Os Packers voltam à campo no domingo, dia 13, às 18:25, fora de casa, contra o Detroit Lions.


#GoPackGo



Posts recentes

Ver tudo