• Daniela Germano - Criadora do GirlPowerNFL

COMO FICARAM OS CONTRATOS DOS JOGADORES DIANTE DA PANDEMIA DE COVID-19

Como a NFL resolveu as questões do risco de COVID-19 de seus jogadores sem contudo prejudicar a temporada e os contratos firmados.



O comitê executivo da NFL Players Association e os 32 representantes das franquias aprovaram algumas condições no final de julho, e decidiram que os jogadores poderiam optar por não participar da temporada 2020, recebendo uma bolsa e teriam até o dia 3 de agosto para se manifestar.

(Foto: Reprodução/ Site NFL Alimni)

Inicialmente os jogadores poderiam fazer o OPT-OUT na seguintes condições: ▪️Desistências médicas; e, ▪️Desistências voluntárias.


No caso de desistência médica o valor da bolsa paga ao jogador seria de US $ 350.000. Já na hipótese de desistência voluntário, o valor cairia para US $ 150.000.


Além disso os contratos sofrerão uma alteração chamada de "tolling". No direito americano existe este termo jurídico que permite pausar ou atrasar o período fixado no contrato, prolongando-o automaticamente, podendo ser retomado quando as condições extraordinárias passarem.⁣

Embora o prazo para os jogadores saírem da temporada esteja marcado para começo de agosto, o acordo finalizado pela NFL e NFLPA também permitirá que os jogadores saiam mais tarde da temporada, apenas por questões específicas devido a circunstâncias familiares ou médicas.

Outra resolução digna de nota é que qualquer jogador que seja definido como de alto risco, incluindo os jogadores com a tag de free agency e os jogadores que não ganharam uma temporada creditada em 2019, se qualificarão para a bolsa de US $ 350.000 se optarem por não participar da temporada de 2️020, informou Pelissero da NFL Network.

Após o acordo, o Conselho de Administração da NFL enviou às equipes da NFL um protocolo de disciplina atualizado que incluía suspensões e multas pelo que é considerado "Conduta COVID-19 de alto risco", como ir a bares, clubes e festas sem equipamento de proteção pessoal ou que envolvam mais de 1️0 pessoas presentes.


Os jogadores também estarão sujeitos a multas por se recusarem a se submeter a testes de vírus (US$ 50.000) e por rejeitarem usar máscara, EPI ou dispositivo de rastreamento ou deixar de manter o distanciamento social durante a viagem em equipe. As multas seriam progressivas e de até US $ 14.650.


Destaca-se que o primeiro jogador a sofrer as sanções por infringir o protocolo de disciplina foi Kemah Siverand, ex-cornerback do Seattle Seahawks, que foi dispensado pelo time essa semana, após ser pego tentando colocar uma mulher para dentro do hotel em que a equipe estava hospedada, disfarçando-a com o uniforme e equipamentos do time.


Todos os funcionários que não são de nível 1 e 2, como treinadores e equipe médica, estão sujeitos a uma disciplina semelhante por violações às regras do COVID-19, acrescentou Pelissero, correspondente do NFL Network.

Outra questão foi que, se um jogador é diagnosticado com COVID-19 ou colocado em quarentena na noite anterior ou na manhã de jogo, a liga permitirá que as equipes promovam um jogador reserva, com aviso prévio ao escritório da liga até 90 minutos antes do começo da partida.


Agora basta esperar para ver se as regras do protocolo serão suficientes para resguardar a saúde dos jogadores e de seus familiares, mantendo a qualidade da temporada sem maiores consequências.

0 comentário