• Heitor Santos

Armando Galarraga quer mudar o passado, a MLB deve permitir?


Créditos: Associated Press

Em 2010, em uma partida entre Detroit Tigers e Cleveland Indians, o arremessador de Detroit Armando Galarraga arremessava um dos jogos mais famosos no baseball dos últimos anos.

Após eliminar 26 rebatedores de Cleveland seguidos, Galarraga se preparava para seu ultimo out e para entrar na historia como o primeiro Pitcher do Tigers a arremessar um Perfecto. Porém, um empecilho surgiu em seu caminho, algo que roubou o protagonismo em uma tarde em que a única manchete deveria ser a obra de arte que o jogador arremessou no dia.

Com 2 outs, na parte alta da nona entrada, o Shortstop Jason Donald vem ao bastão, a ultima esperança do Cleveland Indians de quebrar o jogo perfeito do arremessador adversário, então, Donald rebate um roller fraco para a segunda base, um out quase confirmado. O Second Baseman do Tigers tenta fazer a jogada de rotina e a grande surpresa acontece. O Juiz da primeira base Jim Joyce comete um erro grotesco e a partida perfeita é quebrada. Os jogadores de Detroit foram até Joyce para contestar a chamada, mas de nada adiantou, Jim não reverteu a jogada e acabou por manchar a história da partida. No fim, tudo acabou bem, Galarraga eliminou o rebatedor seguinte e fechou uma partida completa cedendo apenas uma rebatida válida.

Avançando um tempo, quase 10 anos depois, em março desse ano, o arremessador, já aposentado, quando entrevistado pelo The Athletic, disse que queria que seu jogo perfeito fosse reconhecido pela liga.

Galarraga disse “O que eu devo fazer para ter um final melhor na história? Como a Major League pode me dar o Perfect Game, porque foi perfeito, certo?”.

“Por que não(dar o jogo perfeito), por que tenho que esperar tanto? Eu não quero morrer e então eles falarem ‘quer saber, ele fez um jogo perfeito’”

O jogador e o árbitro resolveram o caso de forma tranquila, no dia seguinte do fatídico jogo, os dois conversaram e Jim Joyce admitiu o erro.

Galarraga nunca fez comentários criticando o arbitro, no momento da jogada, ele nem foi agressivo para cima do arbitro que estragou sua obra prima.

Em uma entrevista pós jogo, Galarraga, com uma classe extrema, foi extremamente compreensivo e disse que Joyce não deveria se preocupar e que todos erram na vida. Galarraga também falou que estava muito orgulhoso de seu desempenho. Mesmo sem ter sido o Perfect game, a atuação do Pitcher foi magistral.

Os dois estão de certa forma, ligados para sempre, embora talvez não seja pelo melhor motivo.

O umpire Jim Joyce, responsável pelo erro, concorda com o jogador sobre o jogo ser reconhecido, Jim disse em uma entrevista que “Eu concordo com ele pois ele realmente fez(um jogo perfeito)”.

É claro que seria uma grande história caso o jogo fosse remarcado como um jogo perfeito, porém, é o certo a se fazer?

Isso é uma questão muito mais delicada do que parece. A história do Baseball está cheia de vilões e erros que nunca foram corrigidos e são lembrados como folclore do passatempo americano.

E mais, se o caso de Galarraga fosse aprovado, isso não abriria precedentes para outros jogadores cobrarem a liga em chamadas duvidosas que ocorreram em outros momentos?

Isso provavelmente aconteceria e causaria uma grande confusão e revisão em muitas estatísticas dos anos pré-auxilio de vídeo, o que não seria uma coisa tão interessante para a liga e para os fãs.

Embora esse momento não tenha ganhado a glória de um jogo perfeito, talvez tenha virado um momento mais conhecido e marcante do que se o erro nunca tivesse acontecido. Isso com certeza terá maior destaque na história do esporte.

De qualquer forma, esse momento mostra o quão romântico é o Baseball, suas histórias e narrativas.

Não tem como não se apaixonar por esse esporte, não tem como não ser romântico sobre Baseball.


Créditos: (Bill Eisner / Detroit Tigers via Getty Images)


Fonte: The Athletic